Jacobina Chapada Diamantina - Miguel Calmon - Campo Formoso, Chapada Diamantina - Bahia

Jacobina Chapada Diamantina - Miguel Calmon - Campo Formoso, Chapada Diamantina - Bahia

Chapada Diamantina, Chapada Norte Piemonte da Diamantina

Ecoturismo, Esporte Radicais

A região do Piemonte da Diamantina, localizada na Chapada setentrional, é composta pelos os município de Campo Formoso, Jacobina, Bonito, Miguel Calmon, Ourolândia, Wagner, Piritiba, Morro do Chapéu, Utinga e Licínio de Almeida.

 

Recursos Naturais, Ambientais e Cênicos,

Ao lado de exuberância vegetal, os rios, lagos, morros, as cachoeiras, cavernas, grutas e a flora, fazendo do Piemonte da Diamantina um presépio ecológico, onde os cenários e passeios de sonho oferece aos visitantes a contemplação de belíssimas paisagens. São os nascedouros rios, quilômetros de águas cristalinas e piscinas naturais.

 

Turismo Espeleológico

Grutas

As grutas são preciosidade da região em Morro do Chapéu e dos Brejões, de santa Rita em Wagner e em Campo Formoso a mais bela e imensa das Américas, a Gruta da Boa Vista com 80 km, além da Barriguda e do Convento, Boa Esperança em Utinga e outras mais.

 

Cachoeiras

Inúmeras cachoeiras proporciona refrescantes banhos, após caminhadas por trilhas e morros. Em Jacobina, as cachoeiras de Véu-de-Noiva, Arapongas, dos Amores e Jequitibá, em Morro do Chapéu, as cachoeiras do Ferro Doido, do Agreste e do Ventura, entre outras.

 

Esportes Radicais

Rapel, moutain-bik, trekking e trilhas com obstáculos, são algumas das muitas opções de esportes radicais que são praticado na Chapada Norte, especialmente em Morro do Chapéu. Rapel, descida em corda a 123 metros de altura e com equipamento próprio para alpinismo, é uma (overdose) de adrenalina, posam para fotos, brinca de cabeça para baixo, fazem parte da paisagem e se deslumbram com o visual, a exemplo do “cânion” e chega são e salvo em terra firme. São três jovens desportistas que se profissionalizaram e atuam levando turistas a aventuras inimagináveis.

 

Pinturas Rupestres

O homem Pré-histórico ou sapiens deixou registrada sua passagem ha pelo menos 11 mil anos no período plestoceno. São desenhos da fauna e da flora e desenhos geométricos que se encontra na cidade de Utinga, Wagner, Bonito e Miguel Calmon.

 

Jacobina, Cidade Presépio

Localizada num vale verdejante, cercada por serras, morros, lagos, rios, fontes e cachoeiras. Jacobina também é conhecida como a cidade do ouro. Situada na região noroeste da Bahia, no extremo norte da Chapada Diamantina, a cidade se apresenta como uma excelente opção para os apreciadores do ecoturismo, tanto pelo seus recursos naturais como pelas manifestações folclóricas, a riqueza das minas de ouro e do seu acervo histórico-cultural. Situada a 330 km de Salvador, a cidade surpreende o visitante logo no primeiro contato, pela sua beleza plástica. Sua arquitetura colonial, e a localização entre os morros, a transforma em cidade pictórica. A cidade é cortda pelos rios Itapicuru e do Ouro, interligada por ponte e enfeitada e balaustradas. Além da beleza do casario histórico, da arquitetura civil da época da mineração, Jacobina tem a beleza simples das antigas igrejas, como a da Missão, localizada em dos mais belos pontos da cidade, onde pode-se apreciar um belíssimo pô-do-sol.

 

A cidade e sua história

A cidade de Jacobina data do inicio do século XVII.categoria de vilaa  O ouro foi responsável pela promoção do arraial a categoria de vila – Vila de Santo Antonio de Jacobina – através da carta regia, de D.JoãoV, no ano de 1720. Em 1880, a vila passou a categoria de cidade, com o nome cidade agrícola de Santo Antonio de Jacobina, cuja instalação ocorreu em janeiro de 1893. Jacobina possui duas grandes minas de ouro: Canavieiras e Itapicuru, que eram exploradas pela mineração Jacobina. A historia da cidade de Jacobina é a história do ouro, histórias de sonhos e fantasias, a permanente busca da riqueza que sempre inquietou o homem.

 

Pólo Turistico

Jacobina, alem de pólo turístico, é também um grande centro comercial. Tem dois centro comerciais, cinema, hotéis, cinco bancos, diversos bares, restaurantes e comércio desenvolvido em todas as áreas, pois é um ponto de passagem para as cidades do oeste, como Barreiras e outras. A cidade é também famosa pela fabricação de doces típicos os mais conhecidos são o de marmelo, o de goiaba e o de banana. A cidade tem muitas atrações naturais: A cachoeira do Anibal, com 50 metros de altura, e três quedas, a do caldeirão, formada pelo rio Canavieiras, com 30 metros de altura; as fontes de Itapeipú, de água magnesiana – uma nascente natural que vem dos tempos da mineração; a Lagoa Antonio Sobrinho, a maior de toda região, e a do Jenipapo, tida como uma das mais belas, ideal para banho.

 

Cascatas, Grutas e Cachoeiras

Outros passeios imperdíveis e de grande beleza são ao alto do Cruzeiro. De onde se tem uma bela vista dos vales; e a serra do Tombador, entrada Norte da Chapada Diamantina (nessa serra pode-se apreciar as belezas das rochas sedimentares formadas há milhões de anos). Outros locais que devem se visitados são alto da Serrinha, a Serra das Bananeiras e o pico do Jaraguá. Nos finais de semana, a melhor opção é passear nas cascatas, cachoeiras, barragens e os balneários, “Sombra e água fresca”, “Encanto da Serra” a a “Bandeirantes”, um dos encantos da cidade onde está sendo construindo chalés para em breve receber turistas nos finais de semana e feriados. Próximo a Itaitu, os recantos preferidos são as cachoeiras Véu de Noiva, Piancó, Arapongas, etc. Além das cachoeiras, grutas, pássaros e plantas exóticas compõem um belo cenário para os admiradores do turismo ecológico.  Na alto da Missão, o tradicional pô-do-sol, que pode ser apreciado do “solar da Missão” – um painel situado num belvedere – é muito freqüentado pela juventude. Neste local está a igreja da Missão do Bom Jesus da glória, fundada em 1706, pelos missionários franciscanos. Outras igrejas importantes são: Nossa Senhora da Conceição, A Matriz de Nossa Senhora de Jacobina, são Miguel das figuras, Capela de São Vicente Ferrer, Igreja do menino Jesus de Praga e do divino espírito Santo, todas centenárias. Quem visita Jacobina não pode deixar de passar no mercado municipal – que como o de Salvador, também se chama modelo. Outra diversão é participar da feira livre, onde se encontra uma variedade de frutas da região e diversos objetos da cultura popular, alem de ervas milagrosas, defumados, roupas e outras miudezas. Na região a também uma grande variedade de bromélias e orquídeas. A noite as opções são muitas e vão desde o barzinho onde a juventude faz ponto de encontro até as boates, bons restaurantes e churrascarias. A culinária é típica do sertão baiano: Carne de sol com pirão de leite, bode assado, buchada, feijão de corda, rabada e andu, um tipo de leguminosa característica.

 

Manifestação folclórica

Nesta cidade onde os mistério da natureza se apresentam de uma maneira muito forte, a fé e o sincretismo religioso são muito ricos. A sua mais importante manifestação folclórica é a Marujada. É um Folguedo de origem portuguesa, que ocorre durante as festas religiosas, especialmente as de Conceição, de São Benedito e do Divino. As outras festas religiosa são a da Missão, em 1 de janeiro; A de Santo Antonio de Pádua, padroeiro da cidade, no dia 13 de junho; e a Festa do Divino Espírito Santo (data móvel). Há ainda fora do calendário religioso, a Micareta ( uma réplica do carnaval), em data móvel, determinada em função da Quaresma e do são João, sendo a primeira do interior baiano.

 

Como Chegar:

Chegar a Jacobina é muito fácil. O acesso é rodoviário a partir de Salvador, pela BR 324, que encontra-se em boas condições de tráfego. As empresas de transporte que servem o município são: Empresa Gontijo de transportes Ltda, são Luiz e Águia Branca.

 

Campo Formoso

É um verdadeiro oásis dentro da vastidão seca da caatinga, povoados por arbustos retorcidos e cactos espinhosos. É nesse recanto paradisíaco que se encontra o município de Campo Formoso. A principal causa da colonização de suas terras foi a descobertas de grandes reservas de Salitre. O salitre era usado na fabricação de pólvora.

 

Riquezas naturais

Ao lado da exuberância vegetal, encontramos no subsolo, riquezass fabulosas constituídas de minérios de cromo, calcário, calcita, e ainda pedras preciosas como esmeraldas, citrines e ametistas. São gemas coloridas e brilhantes que os artesãos locais transformam em jóias e estatuetas. Mas não são apenas as pedras preciosas que constituem a riqueza de Campo Formoso. É necessário que desçamos mais um pouco para encontrar no silencio milenar das grutas um acervo de arte quase transcendental produzida pela natureza através de milênios. Possui o município o maior numero de grutas do estado da Bahia.  Mais bela e imensa caverna da America do Sul, localisa-se no município de Campo Formoso. É a Gruta da Boa Vista, com 80km. Fica a 96 km da cede do município.

 

 A Toca da Boa Vista a maior Caverna da America do Sul. No sertão da Bahia, a poucos metros da superfície, está uma das maiores e mais fantásticas grutas do planeta, com 80km, sendo a 15º no mundo. Em vez de água, a Toca da Boa Vista formou rios de pó. Fica a 112 km da cidade.

A Gruta da Barriguda – a extensão natural da costa da Boa Vista. A toca da Barriguda com 6,7km apresentando em seus salões subterrâneos espeleotemas de rara beleza.

A Gruta do Convento um misto de mito e beleza. Situada em plena caatinga, na região do Salitre, a Gruta do Convento é cultuada e visitada por inúmeros estudiosos, curiosos, amantes da natureza e religiosos que anualmente no dia 15 de agosto entram na caverna do Convento numa romaria em louvor a NªSrª das Grotas. As Pontes do Sumidouro

As Pontes do Sumidouro - Ligação Natural entre a Ciência e o Lazer

A 5km da Gruta do Convento, compõem o mesmo sistema cárstico o mesmo sistema dos sertões do Salitre. Caverna com belos espeleotemas formados a milênios, e que pela ação do tempo sofreu abatimentos, apresentando na atualidade formação descontinua, dando idéia de três pontes. De Salvador de carro ou ônibus são 400km – BR-101 e BR-324

 

Miguel Calmon

Com uma população de 34 mil habitantes, seus recursos naturais, ambientais e cênicos são de grande beleza. Rios, cachoeiras, barragens, lagoas, flora e fauna preservados, tornam-se um convite ao turismo ecológico.

 

Atrações ambientais Ecológicas:

Rios – no povoado de Cabaceiras, uma trilha com bom acesso, lindo panorama e poços para banhos. Cachoeiras – Cabeceiras - Pequena, muito bonita, forma o Poço Azul, ótimo para banho. Cachoeira do zezito – pequena, impactada com muita água, tem uma vegetação verdejante e banho gostoso. Cachoeira do Sidônio-grande, de fácil acesso e boa para banho. Cachoeira do Silvano – descoberta a pouco tempo, tem 168 metros de altura. Á água que cai forma um filete. Sua trilha é rica, porem difícil. Uma linda aventura, compensada pela beleza banho.Caldeirões dos olhos D’água – serve para banhos e piqueniques e a Barragem do França entre Miguel Calmon e Piritiba. Flora – Caatinga e mata transição muito rica em cedros, sucupiras, Jatobás, aroeiras, quaresmeiras, angico, entre outros. Fauna – ainda significativa com macacos, pacas, raposas, gambás, veados, preguiças, tucanos, cobras e muitos pássaros, a exemplos de frangos-d’água, arapongas, jaçanãs, e pássaros preto. A Lagoa do Braço Midinho, na área urbana, é povoada de Frangos-d’água, jaçanãs, uirerês e jacarés.

 

Como Chegar:

De ônibus ou carro de Salvador, são 365 km, BR 324/ estrada do feijão, em asfalto.

Não deixe de visitar as belezas naturais da Chapada Diamantina.